Convidados do Bem #2 – Tainara Caldas

Depois de dois meses, voltamos com um dos quadros do BT, o Convidados do Bem, cuja primeira edição teve a presença da gaúcha Paola de LaraAgora, estamos de volta com uma convidada super ativa e engajada no trabalho voluntário, de Vitorinha para o mundo, Tainara Caldas!

Se você acompanha o nosso blog, é capaz de já ter conhecido essa pessoa super para frente e para cima, pois ela foi nossa host no Panamá. Mas se ainda não a conhece, adianto: você vai se apaixonar.

Um breve resumo numérico: ela tem 26 anos, 16 carimbos no passaporte, 3 anos e meio na estrada, 1 blog com 133 postagens e já construiu 4 casas em comunidades carentes de2 países ao lado da entidade Techo. Ela é pura atividade nas horas de serviço e uma fofa nas horas vagas. 

1 Apresentação Tainara

Mas agora vamos às perguntas:

Tai, quando foi a primeira vez que você fez trabalho voluntário?

Tem tempo! Lembro que quando era adolescente eu inventei de meter a minha escola no Dia Global do Voluntariado Jovem e criamos algumas ações como arrecadação de roupas e visita a um asilo. Acho que eu tinha uns 15 anos (ou seja, mais de 10 anos atrás, uau!)

"Nunca achei que fosse capaz de colocar os pilares de uma casa, mas aprendi. Tudo é possível!"

“Nunca achei que fosse capaz de colocar os pilares de uma casa, mas aprendi. Tudo é possível!”

Qual a sua opinião sobre o trabalho voluntário?

Trabalho voluntário é, para mim, um trabalho de vontade. Não ser remunerado faz com que pessoas sejam movidas por outras razões. Estas podem ser infinitas, e inclusive estarem relacionadas com o ego da pessoa. Porém, eu acredito que qualquer coisa que se faça do bem para gerar o bem é válida. Muita gente pode dizer que o trabalho voluntário às vezes mascara a responsabilidade do governo de fazer o que tem que fazer, mas eu prefiro seguir a linha do pensamento de “estou fazendo a minha parte”. A força, o tempo e o conhecimento são coisas que qualquer pessoa pode dar, e é inclusive por esses três fatores que somos contratados e pagos por empresas para alcançar um objetivo. Mas o amor, o carinho e a atenção são coisas que não se consegue com dinheiro, e eu acho que é isso que move um voluntário.

Tai - techo

Voce considera que ser voluntário é fácil ou difícil? 

Bom, dependendo do ponto de vista, difícil. É preciso muito comprometimento e como eu falei anteriormente, ser guiado por algo que não está vinculado ao retorno financeiro. Por exemplo, no caso do Techo (Teto, no Brasil). Enquanto você está lá no alto da favela tentando construir um futuro melhor para uma família, você poderia estar se divertindo com sua família, amigos, estudando, descansando e etc. Mas tudo isso, toda essa parte difícil, é recompensada por muitas coisas. Nada paga uma lágrima de emoção de quem não tinha onde morar, mas agora tem. Aí eu poderia responder que é fácil, só mudar um pouco o ponto de vista.

Você também já rodou esse mundo de meu Deus, né? Tem alguma coisa que você gostaria de mudar no mundo ou no comportamento das pessoas?

Que as pessoas se importem mais umas com as outras. Que não julguem, mas que amem. Se todos seguissem o “amai-vos uns aos outros” muita coisa se resolveria.

"Acredito profundamente que todo mundo tem algo para acrescentar"

“Acredito profundamente que todo mundo tem algo para acrescentar”

Que sugestão você daria para as pessoas que gostariam de fazer voluntariado, mas não se sentem capazes ou não encontram tempo?

Sobre não ser capaz, acredito profundamente que todo mundo tem algo para acrescentar. Existe aquela máxima de que os adultos podem aprender muito com as crianças, lembram? Imagina se alguém nesse mundo não é capaz de algo! Não se exige muito conhecimento para fazer companhia a um idoso ou até mesmo preparar comida pra uma distribuição à moradores de rua, por exemplo. Primeiro busque algo que te interessa, porque é muito importante ter amor pelo que se faz. Eu sempre me interessei pelo fim da pobreza, por isso entrei no Techo. No tempo que estive ali o trabalho foi muito braçal, por exemplo. Nunca achei que fosse capaz de colocar os pilares de uma casa, mas aprendi. Tudo é possível!

Quanto ao tempo, eu sou uma pilha ligada no 220, mas obviamente não acho que todo mundo tem que ser assim. Cada um no seu ritmo, sempre é possível fazer algo. Existe voluntariado online para os que não podem sair de casa, os mais pontuais, que são atividades específicas desenvolvidas por empresas ou ONGs (por exemplo, arrecadar alimentos) ou os que são frequentes. Faça o que te deixe confortável, feliz e realizado. E com amor, claro (sempre e sempre)!

Tai com bebÊ

Tem algo mais que você gostaria de dizer? Este espaço é seu 🙂

Primeiro, que a Luma e o Edu são muito, mas muito boa gente e o Bem Trilhado é um projeto lindo, que merece ser aplaudido de pé. E a segunda coisa, muito simples, é que não existe nada complexo nessa coisa de “problemas do mundo”. Se o seu coração muda, o mundo muda. O amor e empatia são o caminho.

VEJA AQUI TODOS OS #CONVIDADOS DO BEM

Paola_Convidados_DoBemMaria_Convidados_DoBem-01

Anúncios

2 thoughts on “Convidados do Bem #2 – Tainara Caldas

E você, o que é que achou?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s